23 de set de 2010

Novo Uno: Econômetro: útil ou inútil?

73º, 74º e 75º Dias


Durante o fim de semana, passei a reparar um pouco mais no Econômetro, sistema simples dos veículos de entrada da Fiat que, ao menos na teoria, ajuda o motorista a tentar gastar menos combustível (fica localizado na parte direita do painel). Mas isso funciona mesmo? Tem utilidade real ou foi só um “tapa-buraco” para não ficar um vazio onde estaria, por exemplo, um conta-giros?


Bom, se isso fosse perguntado para mim na sexta-feira, a resposta seria: “É praticamente inútil”. Principalmente porque a maior parte do tempo ele ficava no vermelho, ou voltava para o “zero” (quando o carro está parado). Mas, quando eu estava no Rodoanel, sentido Raposo Tavares, passei a reparar um pouco mais no trabalho desse equipamento. Posso dizer, hoje, que se trata de um bom “conscientizador”. É claro que não é algo imprescindível, mas tem, sim, a sua utilidade, mesmo que não a todo o momento.
Guiando e ficando de olho no marcador, consegui controlar o pé no acelerador e fazer o nivelzinho, que antes ficava quase o tempo todo no vermelho, passar mais tempo no verde. Não sei dizer exatamente quanto de economia isso trouxe, mas era possível sentir o carro trabalhando mais aliviado (tudo bem, um pouco óbvio, mas acho interessante deixar claro este ponto também).
Por outro lado, creio que o Econômetro será algo útil por pouco tempo, já que, depois de certa quilometragem com qualquer carro que for, você fica bem adaptado a ele e entende melhor as reações. Ou seja, o aparelho dará uma “mini-aula” nas primeiras centenas de quilômetros, mas será pouco mais que um enfeite depois disso. Mesmo assim, acho útil, já que poderia não ter nada naquele local do painel.
Uno com atraso

Vou comentar sobre outro assunto. E não é em relação ao atraso de um pedido na concessionária. Reparei um fato curioso. Neste domingo, reabasteci o carro com 11,28 litros de etanol. O marcador de combustível mostrava apenas duas barrinhas. Reabastecido, deixei o posto e, para a minha surpresa, estavam lá, as mesmas duas barrinhas, quando era para estar, no mínimo, umas cinco ou seis. Eu já estava na rua e quase voltei ao local, pensando que tinham me enganado ou que a bomba de combustível havia tido algum problema. Mas, cerca de 5 quilômetros depois, subiu um pininho no marcador. Mais uns 5 quilômetros, o “tanque encheu mais um pouco”. Achei algo bem curioso e estranho, porque você acaba saindo do posto sem saber exatamente qual é a marcação.
E acho válido citar, mais uma vez, a sonolência do Uninho pela manhã. No sábado, saí de casa às 6 horas e o carro ficou engasgando por cerca de 4 quilômetros. Pela tarde, depois de um bom tempo parado, mas no sol, fui pegar mais uma vez o veículo e mais uma engasgada. O problema é que o estacionamento era em uma área bem baixa e quase que eu não consigo sair de lá. Na subida, o Uno passou muito perto de simplesmente parar, tamanha a falta de força. Lembro que, no mesmo local, tive dificuldade semelhante com o Uno Way 1.0 que utilizamos no início deste teste. Com o Way 1.4 não me lembro de ter sofrido com isso.
E você, acha que o Econômetro é algo útil em um automóvel de entrada? Você já reparou algum erro do marcador de combustível após um reabastecimento?

Um comentário:

Franscisco disse...

Comprei um uno way 1.0 semana passada e tenho tido as mesmas impressões de conforto e problemas de engasgo e vibração do motor que li nas postagens anteriores. No geral estou satisfeito com o carro e acho que fiz um bom negócio ao trocar meu antigo uno 1.0/2008 por este, já que o antigo já começava a dar despesas de manutenção além da simples troca de óleo e filtros. Acho útil o econômetro inclusive poorque eu já tive um Chevette SE 87 que possuia um econômetro baseado em dois led´s vermelho e amarelo que eu procurava dar atenção.